Romeiros

Os romeiros eram as pessoas que iam às romarias da região, nomeadamente, Srª da Saúde, em Belide, a da Srª do Círculo no Furadouro e ao Sr. da Serra, em Semide.

As mulheres trajavam um dos melhores fatos que dispunham. Uma saia de cambraia estampada mais trabalhada e blusa de fostão ou cambraia, já com algumas nervuras ou pequenos folhos, por se tratar de um dia de festa. Nalguns casos, as mulheres faziam o trajecto exibindo os seus saiotes com rendas e só quando chegavam ao local de destino, da festa propriamente dita, é que vestiam a saia. As chinelas que calçavam, muitas vezes também só eram calçadas no local da Romaria, para evitar o desgaste pelo caminho que era feito a pé, com as chinelas na mão ou à cabeça. Levavam sempre consigo um xaile de barra de seda para usar quando entravam na capela em oração. Na cabeça usam caichiné. O farnel para o dia era transportado num tirone, à cabeça sobre uma rodilha.

No caso dos homens usam fato de cotim, ainda novo ou menos usado, ou fato de lã (calça, colete e casaco). A camisa é de cambraia ou de linho. Chapéu de aba, não muito larga e botas de couro castanhas. Levavam sempre um pau e uma manta de trapos, para estender no chão, onde comiam o farnel. Muitas das vezes eram os homens que levavam o garrafão de vinho para beber no caminho.